Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diz.

por Fernando Lopes, 10 Fev 13

Diz às palavras que tenho medo delas.

 

Diz ao amor que também ele envelhece, se torna surdo, cego e morre.

 

Diz à tristeza que tem em mim poiso seguro, companheiro de jornada, amigo de solilóquio nas negras horas que precedem o dia.

 

Diz à criança que nunca morre, apenas cresce para fingir que é adulto.

 

Diz à vida que é opróbrio.

 

Diz aos ventos que sonho com um regresso a casa.

 

Diz à minha juventude que estou a ficar velho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • Fernando Lopes

    Eh pá, nos contras diria que não é um cão. Nos pró...

  • Genny

    Tão gira!Mas confessa...já estás rendido à gata, n...

  • Fernando Lopes

    Croissant, meu caro, mas como o povo não sabia fra...

  • Carlos A. de Carvalho

    Que raio são coraças ? Como vou estar por aí a sem...

subscrever feeds