Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

até ao osso

por Fernando Lopes, 30 Nov 11

Foram hoje publicados os dados sobre o desemprego. 12,9% é o número oficial. Todos sabemos que a realidade é muito mais negra. Vivo num meio de classe média, tenho amigos com várias formações académicas, desde a arquitectura à engenharia, das letras à saúde, dos que completaram o 12º ano aos que são professores do ensino superior.

Filho e neto de mangas de alpaca, as minhas relações pessoais e afectivas movem-se nessa imensa mole a que se convencionou chamar classe média. E todos, que até há pouco vivíamos vidas anónimas e relativamente confortáveis, começamos a sentir a crise e as medidas deste governo. Até ao osso. Há quem tenha salários em atraso, quem virá a ser roubado do subsídio de férias e Natal, profissionais liberais que, face à concorrência, têm de vender o seu trabalho mais barato. A célebre desvalorização do custo do factor trabalho. O conforto de ter uns euros de reserva no banco está, lentamente a desaparecer.

Esta proletarização de quem paga uma parte substancial dos impostos terá consequências. Sociais e económicas. Embora à superfície tudo esteja calmo, há um fervilhar de desespero que deixou os mais desprotegidos e alastrou a franjas mais amplas da sociedade. Hoje um administrador de um banco foi raptado e roubado. Sinal dos tempos. Nem os poderosos escaparão ao monstro que criaram.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

Polícias e hackers

por Fernando Lopes, 29 Nov 11


Toda a nossa sociedade assenta em mecanismos de informação. A nossa vida, as compras, as dívidas, a água, a luz, as telecomunicações são controladas por sistemas informáticos. Esta capacidade de armazenar informação torna a sociedade enormemente dependente destes sistemas. O ataque dos hackers ao MAI, embora ilegal,  faz todo o sentido. Ao tomar-se conta da informação está-se a assaltar o poder. Os fins legitimam os meios.

No entanto, este ataque padece de algo que não me agrada. A disseminação de dados de agentes policiais sem outro critério que não o da localização do seu posto de trabalho. Torna os polícias alvo fácil de controlo por marginais. Fragiliza-os no cumprimento das suas tarefas diárias, que, penso eu, não serão bater em manifestantes das 9:00 às 17:00. Agradar-me-ia mais que apenas tivesse sido divulgada informação dos responsáveis e não de meros agentes. Colocaria menos vidas em risco e seria bem mais agradável maltratar a mão que manda bater e não o simples executor.


P.S.- [19:01] Tenho dificuldade em compreender os "sonhos húmidos" que este ataque causa a alguma blogosfera de esquerda. Combata-se o ministro e as altas patentes, não os polícias de giro. O 5dias está a prestar serviço público ao exibir os rostos dos "paisanas". Mas, não esquecer, são meros peões.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

Empata fodas

por Fernando Lopes, 28 Nov 11

No orçamento de 2012 e após uma vitória de Pirro, fica provado que o papel de Seguro e sus muchacos é o de empata fodas. Por outras palavras, o PS nem troika, nem sai de cima.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Álvaro percebe disto ...

por Fernando Lopes, 27 Nov 11


Sobre os conhecimentos do Álvaro em matéria de transportes fica tudo dito em 4:25

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ascensão e queda do Brasil ?

por Fernando Lopes, 27 Nov 11


É muito mais o que nos une que que nos separa. "A minha pátria é a língua portuguesa", disse Pessoa. O Brasil vive um momento de prosperidade único na sua história recente. Graças aos seus enormes recursos naturais, à pujança da sua cultura, ao seu povo, é um país respeitado, um dos novos pesos-pesados da economia mundial.

É governado por uma mulher lutadora, que tem, com certeza, a melhor das intenções. E, no entanto, está a cometer os erros que Portugal, a Grécia e a Europa em geral cometeram em momentos de grande desenvolvimento económico. Está indo para a festa com a força toda, esquecendo-se que depois vem a ressaca.

Está a assentar o seu modelo de desenvolvimento em grandes eventos ou obras faraónicas que nada mais são do que um sorvedouro de dinheiros públicos, com retorno mais do que duvidoso. O mundial de futebol, os jogos olímpicos, as grandes barragens que trarão ao Brasil do futuro? Endividamento externo por várias gerações, corrupção, compadrio e posterior "ajustamento" e empobrecimento. Nós já estivemos lá, cometemos esses erros. Era bom que os nossos irmãos começassem a pensar num modelo de desenvolvimento alternativo e a aprender com os erros cometidos pelos europeus. Saravá!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

O rosto de um filho da puta

por Fernando Lopes, 26 Nov 11


O vídeo exibido ontem pela TV e postado em vários blogues, com a carga de porrada de um polícia à paisana, desapareceu do vimeo. Coisa bem intencionada, certamente. Existirá cópia em muitos computadores, podemos colocá-lo no youtube e em muitos outros sites. Para que conste, exibo a fotografia do filho da puta do bastão extensível.

Resta a extraordinária e inexplicada coincidência de um suposto procurado pela Interpol, se ir colocar no local com mais polícia por metro quadrado da cidade de Lisboa, no dia de uma greve geral. Contem-me histórias que eu gosto ...

Foto: cortesia do 5dias






Vídeo: cortesia do Democrato

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

Um mundo perfeito

por Fernando Lopes, 25 Nov 11

O seu mundo permanece simples, sem zonas cinzentas. Apenas existem maus e  bons. A maldade é ficção, inexistente no dia-a-dia. Coisa de bruxas e feiticeiros, cruzando mundos mágicos. Palra sem parar, inventando "estórias" em que é simultaneamente heroína e vilã. Quero prolongar essa ilusão enquanto for possível, partilhar esse sítio perfeito em que o bem prevalece e o mal é sempre castigado. Adormece enroscada enquanto lhe conto baixinho sobre belas princesas, anões corajosos e gigantes bonacheirões.

Autoria e outros dados (tags, etc)

"A metáfora do túnel é errada: não é um túnel, mas um poço, não estamos a caminhar na horizontal no escuro, estamos a cair na vertical no escuro."

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

1 departamento, 29 trabalhadores, 1 grevista

por Fernando Lopes, 24 Nov 11


Ao ser o único, entre os 29 do meu departamento a aderir à greve, arrisco bastante. Arrisco-me a ser o primeiro numa série de cortes e despedimentos previstos. Diga-se o que se disser, no sector privado aderir à greve é mais difícil do que no público. Todos têm medo. Dos cortes salariais e dos despedimentos. Provavelmente haveria uma potencial meia-dúzia de pessoas com vontade de fazer greve. Mas, como sempre, acobardar-se-ão. É compreensível. Todos temos a vida por um fio. Mas, é nestas alturas que se distinguem os princípios das conveniências. Por isso, faço greve.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/5

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

  • alexandra g.

    Ferdinand,não se diz gases, diz-se metano :), mas ...

  • Anónimo

    Já passei pela situação de querer umas bolachas se...

  • Fernando Lopes

    O problema dos ruminantes são os gases, usei a vac...

  • Inês

    "mais ventosidades que uma vaca argentina"?! Já me...

subscrever feeds