Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

 


Todos os amigos deste blogue sabem que sou profundamente anticlerical, como já disse aqui. Bem analisado, 7 mil rolos é capaz de ser pouco para tanto incréu...  A Renova bem que podia abrir um novo nicho de mercado, já existente no exterior, com modelos com o Papa, Benfica, Alberto João Jardim e por aí fora. Esses três tinham cliente garantido. É fazer um estudo à séria que a coisa pode bem vir a ser grande. E já agora, p.f. envolvam o Álvaro nisso. Eu sou como o Zé da Viúva, as ideias ainda vêm no ar e eu já as estou a agarrar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Amargura no Pingo Doce

por Fernando Lopes, 4 Ago 11

[Error: Irreparable invalid markup ('<img [...] t$>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<div class="separator" style="clear: both; text-align: center;"><a href="http://4.bp.blogspot.com/-mH91N1I6tr0/TjpqAddE9vI/AAAAAAAAA-U/NVH78kvu_EA/s1600/pingo+doce.jpg" imageanchor="1" style="margin-left: 1em; margin-right: 1em;"><img border="0" src="http://4.bp.blogspot.com/-mH91N1I6tr0/TjpqAddE9vI/AAAAAAAAA-U/NVH78kvu_EA/s1600/pingo+doce.jpg" t$="true" /></a></div>Tudo se passa com a normalidade de uma tragédia há muito anunciada. A situação de crise que vivemos faz com que, paradoxo dos paradoxos, os empregados do Pingo Doce tenham de recorrer a <b><a href="http://www.ionline.pt/conteudo/141264-jeronimo-martins-alimenta-e-apoia-1100-funcionarios-2012"><span style="color: orange;">ajuda alimentar</span></a></b>. Independentemente dos devaneios consumistas que alguns destes possam ter tido, ressaltam desta notícia dois factos preocupantes:<br />- A continuação da doutrina da competitividade baseada em baixos salários.<br />- Uma classe dirigente que continua a enriquecer enquanto os pobres ficam cada vez mais pobres.<br /><br />Existe também uma componente paternalista que me choca.<i> ["...o grupo decidiu que uma das áreas fundamentais de apoio será a formação em gestão do orçamento familiar, para garantir que os funcionários aprendem a gerir os seus rendimentos, evitando assim situações de sobreendividamento."]</i><br /><br />Como é que se aprende a gerir ordenados de 500 ou 600 euros? Gere-se a sobrevivência e pouco mais. Este endividamento tem essencialmente duas causas. O desemprego de um dos cônjuges e a aquisição de casa própria. Todos (e digo todos) fomos convidados pelo nosso amigo o Banco, à aquisição de casa própria. Até há dois ou três anos o mercado de arrendamento era inexistente. As rendas eram superiores às prestações que se pagavam ao banco. Muitas vezes a compra não foi a opção mais desejada, mas, sobretudo, a mais económica. E quem negar este facto é mentiroso e demagogo.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Faz impressão o trabalho que se tem em ser superficial
Faz-me impressão e baralho o vulgar e o intelectual

Sinto depressão conforme perco tempo essencial
Sofro uma pressão enorme para gostar do que é normal


Deixo tudo para mais logo não sou analógico sou criatura digital
Tendo para mais louco não sou patológico como o papel vegetal


Faz-me impressão ser seguido imitado por gente banal
Faz-me um favor estou perdido indica-me algo de fundamental



Acho que o que gosto em mim o que me motiva é uma preguiça transcendental
E em ti o que me torna afim o que me cativa é esse sorriso vertical como uma impressão digital


Sinto-me uma fotocópia prefiro o original
Edição revista e aumentada cordão umbilical
Exclusivo a morder a página em papel jornal


Faz-me impressão o trabalho a inércia faz-me mal

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

subscrever feeds