Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

À mulher de Alberto

por Fernando Lopes, 15 Mar 11


À mulher de Alberto não basta ser séria. 72 mil euros de suplemento remuneratório não são 72. Várias hipóteses:

- ou o Secretário de Estado quis ser amigo do chefe, mesmo não lhe conhecendo a mulher.

- Alberto está tão bem de vida, que não reparou numa vitamina de 72 mil euros no seu extracto bancário.

- a mulher de Alberto, usou a sua influência para pressionar o Secretário de Estado.

Por absurdo pode também a mulher de Alberto ter um caso com o Secretário de Estado, sendo os 72 mil para passarem férias num qualquer paraíso tropical, enquanto Alberto se mata para que a nossa justiça esteja num brinquinho.

Em qualquer dos casos, é grave. Alberto, como parte interessada, devia colocar o seu lugar à disposição. Não o fez, preferindo dar uma conferência de imprensa. E pensar que a mulher de Alberto me pode processar deixa-me preocupado. Afinal tem mais 72 mil do que eu para gastar em advogados.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Japão

por Fernando Lopes, 15 Mar 11

Nenhum de nós pode ficar indiferente à catástrofe do Japão. Na sociedade da prevenção, a natureza agiu com uma força desmesurada, esboroando os planos de segurança do país. Às vezes recebemos estas lições de humildade. Ainda recentemente tinha estado a ver no Discovery, um programa sobre a arquitectura nipónica, que os próprios consideravam, justificadamente, a única no mundo preparada para resistir a grandes sismos. De nada adiantou. Depois do maremoto, segue-se a catástrofe nuclear. Sei que este post está pleno de trivialidades, mas a construção anti-sísmica e o nuclear são colocados em questão por fenómenos que desconhecemos e somos incapazes de prever. Reduz-nos à frágil condição humana. Dá que pensar, como a nossa melhor ciência e técnica, podem ser questionadas por um simples fenómeno natural. A deslocação de duas placas tectónicas.

P.S. - Com a tragédia nuclear que se avizinha, é uma boa altura para debater se o que pagamos a mais pela nossa energia compensa a opção pelo não atómico. Eu prefiro viver sem esse pesadelo por perto, embora não seja totalmente insensível ao quanto energia barata pode ser importante para a indústria.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Feedback

subscrever feeds